Depois de um tempo…

Se tem uma coisa que é fato nessa vida além da morte, é que o tempo passa. Não importa o que fazemos, onde estamos, como… o tempo vai passar e não podemos fazer nada.

Claro que daqui uns anos vou me sentir ridícula ao ler isso (talvez não, na verdade espero que não)… Mas, hoje tive uma conversa que despertou esse sentimento de tempo, experiência, conhecimento (ou a mera falta dele). Na realidade, essa semana foi cheia de datas e marcos.

No dia 28, segunda-feira, fez um ano que eu parei de fumar! Sim, 365 dias, 12 meses, é um tempo incrível pra quem fumou diariamente durante 10 anos (essa história eu já contei aqui)… é uma conquista incrível… mas ainda me considero fumante, sei que não posso bobear. Por mais bizarro que possa parecer ainda tenho vontade, mas luto bravamente.

Voltando a questão do tempo e do papo de hoje é muito engraçado conversar com pessoas mais novas e ver a visão que elas tem da vida… É aquela velha história dos conselhos… Mas, também acho que se tivéssemos ouvido todos os que nos foram dados, não teríamos aprendido tanto.. Estranho né?

Nunca consegui entender porque o ser humano é tão besta que, a maioria, só aprende quando quebra a cara… não seria mais fácil ouvir o que os nossos pais, amigos e irmãos dizem? Mas não! Queremos sempre pagar pra ver e algumas vezes o preço é bem alto…

Mas é válido, na verdade é super válido… é importante para nos ajudar a moldar e forjar o nosso caráter, para nos fazer pensar trocentas vezes antes de tomar uma atitude (os impulsos continuam existindo, não se iluda!). A certeza é que nos tornamos mais tolerantes e pacientes… Sabemos (ao menos eu sei) que no final tudo dá certo… de um jeito ou de outro, tudo decanta e se ajeita!

E nesses desatinos da vida vamos aprendendo e melhorar, aguentar o tranco e saber que se tem uma frase que nunca deve ser dita é : pior do que tá não pode ficar! (porque é geralmente nessas horas que descobrimos que pode) mas, também descobrimos que tudo passa de verdade e sempre que passamos por uma situação difícil saímos pessoas mais fortes… e por aí vai!

Anúncios

Re-Encontros

Depois de deixar o blog bem abandonadinho, resolvi retomar este espaço para celebrar um evento que está chegando!

Este ano faz 10 anos que entrei na faculdade e com essa mudança, aos 17 anos, tive contato com um mundo de novas possibilidades, músicas, amigos e sentimentos. Morei oito anos em Piracicaba e desde que eu vim para São Paulo, há pouco mais de dois anos, voltei apenas uma vez para o ‘Lugar onde o peixe para’.

Tenho pessoas muito queridas que ainda moram lá e sinto cada vez mais vontade de aparecer de vez em quando, mas acho que essa demora se deve ao fato de eu ter saudades de uma cidade que não existe mais… ficou lá perdida entre os anos 2000 e 2004 (mais ou menos)….

Era uma época que o que importava era, quase sempre, onde íamos tomar uma cerveja, ou o capeta, depois da facul ou pra onde iríamos depois que a balada acabasse… Quase sempre terminávamos a balada na Rua São José, não lembro o número, mas ficava entre a Governador e a Benjamin… A sobreloja que marcou a minha vida, com direito a baladas sem fim, um vizinho maníaco, uma faxineira traveco e vários agregados… ê saudades da Circo Cassino Albergue, que ficava alegre quando os palhaços pegavam fogo (sirva a carapuça a quem servir).

Neste próximo final de semana, 10 de abril de 2010, organizamos um reencontro para relembrarmos os tempos áureos da Cassino Albergue e agregados!! Estamos todos numa empolgação só!! Serão dois dias numa chácara com muita carne e cerveja, sem miséria… Isto é um pouco diferente dos perrengues que passávamos, ainda bem que as coisas mudaram… Alguns casados, outros com filhos,vai ser bom ver que o tempo não passou só pra mim, pro Fá e para os que vejo com mais frequência. Vai ser bom dar risadas lembrando algumas presepadas e trapalhadas…

O tempo não volta, mas um reencontro deste pode nos dar a impressão que temos, de certa forma, esse poder!